22/03/2019

XP Morning Call

22/03/2019

 

Prisão de Temer eleva preocupação sobre foco na reforma da previdência

A prisão do ex-presidente Temer elevou ontem o grau de incerteza em relação à priorização, velocidade e riscos “imponderáveis” para a aprovação da Reforma da Previdência, levando à realização do Ibovespa, que fechou em queda de 1,3% em um dia em que as bolsas globais subiram 0,5-1%.

O noticiário político é dominado pelo acontecimento e turva ainda mais o ambiente para os avanços da reforma da Previdência, já incerto em decorrência da relação irregular do governo com o Parlamento.

Entre os principais desdobramentos, estão a ampliação da distância entre o presidente Jair Bolsonaro e sua possível base de apoio no Congresso, o adiamento da escolha do relator da proposta na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara e o acirramento das tensões entre o presidente da Casa, Rodrigo Maia (principal articulador da reforma), e o núcleo de poder do Palácio do Planalto.

Os próximos três a quatro meses são cruciais para o país. Seguimos otimistas e acreditamos no avanço da agenda reformista no Brasil, que vemos como transformacional. Entretanto, antecipamos volatilidade, com um duro processo de negociação adiante para a reforma da Previdência, e uma série de riscos que podem aumentar a tensão (como os desta semana), motivo pelo qual sugerimos manter proteções e hedges nas carteiras, como Vale e Suzano por exemplo.

No internacional, ações europeias caem após dados fracos de atividade industrial na região, que renovaram as preocupações sobre crescimento global nesta sexta-feira. Futuros nos Estados Unidos também seguem em declínio.

Sobre Brexit, líderes europeus estenderam o prazo para tentar impedir saída sem acordo do Reino Unido da União Europeia para 12 de abril ou 22 de maio, de 29 de março anteriormente.

Do lado das empresas, a Vale recebeu da SEMAD autorização para retomar as operações de Brucutu, a maior das minas da Vale parada por decisão judicial. Vemos o evento como um passo importante na direção de normalizar as operações, gradualmente virando a página da tragédia de Brumadinho – reiteramos a COMPRA, preço alvo de R$68/ação.

Em fato relevante divulgado ontem, a Renova Energia informou que aceitou proposta vinculante da AES Tietê pelo complexo eólico Alto Sertão III. Apesar do risco técnico de um possível follow-on para financiar a transação, os termos veiculados até o momento sobre a transação implicam em retornos mais atrativos do que qualquer outra opção em leilões recentes de energia nova, com aumento de 21% do lucro, e por isso reiteramos a recomendação de compra.

Relatório completo no link.